042 | Quanto mais disponível, menos valor terá

É atribuída ao Filósofo Grego Anaxágoras a seguinte frase: ‘Quanto mais disponível você estiver, menos valor você terá.’

Anaxágoras viveu e morreu na Ásia menor entre 500 a.C. e 428 a.C., atual Turquia, ele foi um biólogo, astrônomo, físico, matemático e filósofo pré-socrático grego. Anaxágoras é considerado um inovador dentro da evolução da filosofia, por introduzir a prática da especulação intelectual em Atenas. Suas ideias de constituição dos objetos e o processo mecânico na construção da ordem são ainda consideradas o ponto de partida no desenvolvimento da teoria atômica.

Deixando a teoria de lado ou a filosofia grega, mesmo aquelas dos mestres saxões, eu tenho notado na prática, que quanto mais a pessoa está pronta para ouvir, ajudar, aconselhar e caminhar lado a lado com outra pessoa, menos ‘valor’ ela tem para essa outra pessoa, talvez seja por um ato consciente ou inconsciente da ‘outra’ pessoa que sabe que você estará pronto para ‘acudi-la’ ou ‘socorrê-la’ quando ela precisar, e isso tenho notado em relacionamentos interpessoais, amorosos e até nas relações de trabalho.

Não há nada de errado em você estar disponível o tempo inteiro, mas da mesma forma também não há nada de errado se você passar a ‘filtrar’ a disponibilidade que você deixa em aberto.

Eu conheço um empresário de MUITO sucesso no Brasil, que sequer ele usa telefone celular, e quando usa é para fazer alguma ligação importante para algum familiar, porém, não há nada nesse mundo que faça ele atender qualquer ligação, seja de quem for.

Esse mesmo empresário sequer tem redes sociais e para falar com ele a pessoa enfrenta uma verdadeira ‘maratona’ exaustiva e complicada, quase uma engenharia nuclear pelo grau de dificuldade: A pessoa tem que ligar para a empresa dele e explicar a telefonista o motivo da ligação. Se for ‘importante’ a ligação é transferida para uma secretária que escuta, avalia e se for o caso transfere a ligação para um secretária mais especial ainda que filtra as conversas ainda com mais esmero. Se for algum assunto relevante a ligação é transferida para uma assessora especial e por fim chega no empresário. Se você for atendido por ele, equivale à conquista do Ouro olímpico, ou seja, você venceu a maratona.

Certa vez eu perguntei a ele por que tanta filtragem, e ele me respondeu com a frase do filosofo grego Anaxágoras: ‘Quanto mais disponível você estiver, menos valor você terá.’

Sabe qual é a fama desses empresário? De uma pessoa muito importante e valorizada.

Certa vez, em Cascadura no Rio de Janeiro, fui chamado as pressas para atender um senhor que havia tentado o suicídio, e sobreviveu, e sua família pediu para eu ter uma conversa reservada com ele. Chegando por volta das 20 horas na clínica (eu estava de camisa de gola pólo, calça jeans e tênis) fui mal recebido pelas  atendentes e até pelo segurança da clínica que disseram que aquele não era horário de visita. Quando eu me identifiquei e eles olharam o meu crachá e a minha identidade profissional da Associação de Profissionais de Saúde Mental, e leram, Dr. Léo Vilhena, o atendimento mudou radicalmente e fui tratado com toda deferência. Eu não podia deixar aquele acontecimento passar ‘em branco’ e disse a eles para nunca julgarem as pessoas pelas aparências, por que todos nós, seres humanos, independente do grau de estudo ou do ‘status’, merecemos ser bem tratados e respeitados.

Mas eu tenho percebido, aos 48 do segundo tempo (entenda o sarcasmo), que essa verdade ela tem se tornado absoluta em minha vida, ‘Quanto mais disponível você estiver, menos valor você terá’, da mesma forma que outra frase também de um filósofo grego tem tornado-se realidade na minha existência: ‘Quando aprendemos o peso das palavras, começamos a valorizar o silêncio‘.

É uma soma de mudanças e eu estou definitivamente entrando nessa fase: Valorização, indisponibilidade e silêncio.

Eu descobri há poucos dias que um amigo meu, um pastor gente boa de uma igreja bem pequena, com cerca de 100 membros, assumiu esse trinca de decisões e ele já está colhendo os frutos benéficos dessa mudança, e eu pensei comigo: Caramba, eu tenho uma rotina muito pesada e mesmo assim eu me deixo disponível a todos, mas será que estou certo fazendo isso? As vezes eu penso como Anaxágoras, mas as minhas mil atividades, nada disso me faz ser uma pessoa mais importante e eu não me valorizo por causa de títulos (na verdade e de verdade, eu estou pouco me lixando para eles), apenas te contei que sou atarefado para você entender como sou disponível, creia nisso, eu não sou nem de longe arrogante, prepotente e orgulhoso por causa das minhas atividades, EU NÃO SOU, apenas te contei a minha rotina.

Mas por que eu te contei tudo isso? Só para te dizer que os meus conhecimentos e estudos foram para servir melhor os membros da minha igreja, da minha comunidade, servir melhor todos que me procurassem e sequer deixei subir a cabeça qualquer altivez ou orgulho, quem me conhece pessoalmente pode atestar isso: sou um cara simples, do povão e gosto de comer sentado no chão ou num banquinho de madeira, ao lado de amigas e amigos, e saborear uma boa farofa de ovo com churrasco de ‘gato’ (meu amigo Carlinhos de Iacri pode confirmar isso). Eu sou povão. Por que eu fiz essa referência? Por que no último natal troquei vários convites para festejar em ‘sociedade abastada’ por uma simplicidade que me cativou e me deixou feliz ao lado de amigos do povão. Amo gente simples, como eu.

Mas depois de tudo o que te contei, eu tomei essa decisão e ela é de caráter irrevogável, à nível profissional: ‘Quanto mais disponível você estiver, menos valor você terá’ e eu vou levar muito a sério a trinca:  Valorização, indisponibilidade e silêncio.

Poucos tem o meu telefone pessoal, e agora, menos ainda terão. Eu vejo que muita gente despreza os outros pela completa disponibilidade, por isso, a indisponibilidade é a arma da valorização: as pessoas tem que celebrar e vibrar ao falar com você.

Qual foi o motivo que me levou a tomar decisão tão drástica? Tenha um bom domingo…

Pr. Léo Vilhena

admin

Léo Vilhena | Doutor em Teologia | Especializado em Psicologia Pastoral | Especializado em Bases Doutrinárias | Autor de 20 livros publicados | O Blog PPR é um ministério voltado a levar a Mensagem da Cruz, sem falsidades, sem enganos, sem falácias, sem mentiras ou Hipocrisias. Falamos a Verdade com verdade. Levamos o Evangelho a sério.